Solarenergie-Förderverein Deutschland e.V. (SFV)

[ Artikel diskutieren und weiterverbreiten? Infos zum Copyright ]
[ Druckversion dieses Artikels ]

14.09.2001, Solar Promotion Association:

Introdução do uso da energia solar no mercado sem Imposto Fiscal

We regret that nearly all of our information is only available in German language at the moment.
If you want to see all of our information support or read our magazine "Solarbrief" please click for our German homepage .

Quando se trata de encontrar soluções para o problema de abastecimento de energia no mundo, a energia solar pode ser a principal delas!

Esta técnica precisa de apoio para entrar no Mercado.Nós achamos que o apoio para a entrada no Mercado através de novos impostos é ultrapassada.

Receber de volta o dinheiro que foi gasto com a construção do captador de energia solar é uma solução atrativa e eficaz.

A devolução do dinheiro aplicado na captação de energia solar diferencia-se de todos os programas de comercialização sobre o assunto conhecidos até agora: a produção de energia solar será paga com essa devolução. O conjunto de consumidores de energia financia a devolução através de um pequeno acréscimo financeiro por conta de energia.Por isso os captadores de energia solar não precisam de apoio financeiro do Governo.

O recebimento retroativo do dinheiro gasto na contrução de captadores de energia solar já foi experimentado na prática.

Em muitas cidades,com o dinheiro devolvido, pôde-se construir um maior número de captadores de energia.

Até agora só devolve-se o dinheiro por livre e espontânea vontade.

Em 60 cidades o Governo Municipal e Vereadores obrigaram as Companhias de Gás a devolver o dinheiro gasto com os captadores de energia solar. No entanto, as mesmas só responderam à intimacão onde elas são propriedade do público. Falta ainda a obrigatoriedade através de Leis!

Uma Lei Governamental autorizando a devolução acima citada é mais do que necessária.

A devolução do dinheiro é amparada por uma Lei Governamental chamada "Lei de Abastecimento de Energia". O pagamento mínimo deve ser substituído por uma "quota de devolução" para a construção de novos captadores, com atualização anual em relação ao preço de Mercado.

Em se tratando dos consumidores de energia, a devolução do dinheiro se acha em alta.

Enquetes mostram uma boa aceitação da idéia de pagar-se uma "quota extra", se no final das contas, tudo se reverter em benefício do consumidor e acima de tudo, servir como solução na questão do consumo de energia. Um inquérito da RWE ( a maior firma de fornecimento de energia elétrica na Alemanha), revelou a aceitação positiva de 80% dos entrevistados.

Os fornecedores estatais de energia não serão prejudicados por causa da concorrência.

A devolução do dinheiro não é da responsabilidade dos fornecedores de energia, mas sim das empresas que cuidam da manutenção e distribuição de energia. Estas podem, conforme a "Lei de Abastecimento de Energia", receber de volta os custos extras. Assim, a quota financeira referente à devolução será dividida em partes iguais por todos os recebedores de energia,até mesmo para os que a recebem do Exterior.

Essa mesma devolução gera novos empregos e faz a energia solar ser competitiva para o mercado.

Com a devolução ocupa-se um crescente número de instaladores, comerciantes e produtores. Como resultado da crescente procura de energia solar,constróem-se novos captadores. A sua produção em massa força uma baixa nos preços.

Captadores de energia solar sobre telhados alemães fortalece a credibilidade dessa técnica nos países em desenvolvimento e servem de propaganda para a exportação desses captadores.

Argumentos contra a devolução do dinheiro empregado na construção de captadores de energia solar e porque eles não são plausíveis.

A produção de energia solar com ajuda de células solares (Photovoltaik) é o método mais caro de economizar C02

Toda nova técnica é cara no começo,mas se torna barata com a produção em massa. A Comissão que preparou a pesquisa "Protecão da Atmosfera Terrestre" para o 11° Deutschen Bundestages conta com a redução do preco da energia solar para abaixo de 20 Pf/ KWh.

Primeiro deve-se economizar C02 através de técnicas mais baratas do que a Photovoltaik.

O grande fantasma, quando de trara do assunto clima da terra,é a construção de novas fontes de produção de energia com base no carvão, em países como Índia, China e outros países em desenvolvimento. Esse medo não deve ser banido somente através de técnicas econômicas. Isso depende muito mais da introdução do método Photovoltaik no Mercado como alternativa o mais rápido possível.

O dinheiro devolvido para as pessoas que construíram captadores de energia solar faltará para outras técnicas de economizar C02.

Muito pelo contrário! Uma vez que os custos serão adicionados à conta de energia de todos os consumidores, o aumento no preço de energia é um motivo a mais para economizar energia.

Com a devolução de dinheiro para consumidores que têm captadores de energia solar, se provocará uma estagnação da técnica Photovoltaik, além de não se estimular nenhuma mudança positiva no preço de produçao.

Isso não faz nenhum sentido! Com a devolução de dinheiro facilitam-se inovações técnicas e a construção de mais captadores, com menos dinheiro. Isso provoca concorrência, o ingrediente necessário para baixar os preços. Se a técnica Photovoltaik se tornar mais barata, então devolver-se-á menos dinheiro, para a construção de novos captadores. Desde 01.01.97 devolve-se ao consumidor ao invés de 1,02 Euro/kWh, a quantia de 0,97 Euro/kWh e a partir de 01.01.99, apenas 0,90 Euro/Kwh.

Assim como em outras idéias no programa de incentivo ao uso de outras formas de energia, também no caso da devolução de dinheiro notam-se claramente as dificuldades com a Constituição.

A devolução de dinheiro, repetimos, não alterará em nada as finanças do Governo porque do processo só participam o consumidor, as Empresas responsáveis pela manutenção da rede e o captador de energia solar.

A economia do local (cidade, Estado) correrá perigo, porque o aumento do preço da energia encarecerá os produtos.

Se compararmos o preço total do produto com os gastos com energia, observaremos que, na média, eles correspondem a 3%. Se os gastos com energia sobem 1%, o preço total do produto sofrerá um acréscimo de 0,3.



zum Seitenanfang


Dieser Artikel wurde einsortiert unter ....